Telefonia: a base da comunicação do Hospital

O Hospital Samaritano Campinas tem uma equipe de Telefonia, de Central de Vagas e de Agendamento composta por diversos colaboradores que são os responsáveis por realizarem as ligações e transferir as chamadas. Fazem também a triagem e desfecho das solicitações de vagas externas e toda a comunicação entre os setores envolvidos. Recebem as escalas de plantões das especialidades médicas e do Pronto-Socorro além de todo o controle do painel das chaves e de uso do Auditório.

Funciona todos os dias, das 6 às 24 horas, administrando as 90 linhas telefônicas do Hospital. Após às 24h, todo o serviço de telefonia é transferido para Recepção do Pronto-Socorro. “Acredito que Telefonia e a Central de Vagas seja a base da comunicação no Hospital. Eles possuem relação direta com todos os setores. São o primeiro contato dos nossos clientes, sejam eles pacientes, médicos, fornecedores, etc.”, destacou Larissa Lorraine dos Santos Silva, coordenadora da Recepção.

Ela comentou cabe também a essa equipe o agendamento de exames como Ultrassom, Raio-X, Tomografia, Endoscopia/Colonoscopia e Biopsias. “O agendamento funciona de segunda a sexta-feira, das 8 às 17h e é feito através das linhas telefônicas do hospital e WhatsApp”, falou Larissa.

“A equipe de Telefonia e Agendamento, são setores fundamentais para o bom andamento das atividades diárias do Hospital. São funcionários dedicados ao trabalho, que gostam de fazer parte dessa equipe e dar o seu melhor diariamente aos pacientes”, acrescentou a coordenadora. Para ela, o objetivo é sempre melhorar a cada dia. “Queremos atender o cliente com agilidade, cordialidade e competência para proporcionarmos o melhor em nosso atendimento, seja ele internamente ou externamente”.

Cuidando de quem cuida: HSC tem atendimento psicológico para colaboradores

Nesse momento de pandemia, há cansaço, há exaustão, há insegurança e muitas incertezas. É preciso ter calma e respirar fundo. Nada dura para sempre mesmo sendo o mais difícil dos momentos.

Por isso, para auxiliar os colaboradores a passarem por esse momento da melhor forma possível, o Hospital Samaritano Campinas está oferecendo atendimento psicológico. Uma psicóloga foi contratada exclusivamente para atender os colaboradores. É um auxílio para aqueles que estão precisando de ferramentas para superar a situação a qual estão passando. O objetivo é dar apoio e ensinar técnicas para que os colaboradores possam lidar com as emoções.

O atendimento – destinado a todos os colaboradores – acontece na segunda, terça e sexta-feira, das 9 às 15h e quarta e quinta-feira, das 17 às 23h.  Para ser atendido é necessário agendar pelo WhatsApp 19 99987-0538 ou pelo Ramal 1179.

Escuta Ativa

Outro projeto voltado a saúde do colaborador também acaba de ser implantando no Hospital. É o Escuta Ativa. Nele, é possível encontrar canais para conversar e desabafar. O Recursos Humanos, a Medicina do Trabalho e o Serviço Social estão prontos para lhe ouvir. Quem precisar também, não pode esquecer do CVV (Centro de Valorização da Vida).

Equipe de fisioterapeutas: essenciais para a recuperação dos pacientes

O HSC tem uma equipe de prestadores de serviços de fisioterapia composta por 29 profissionais que, diariamente, se dedicam ao auxílio na recuperação dos pacientes. O papel da fisioterapia hospitalar se dá através de uma avaliação minuciosa com checagem de exames laboratoriais e de imagem atuando desde o aporte em oxigenoterapia e ventilação mecânica até na recuperação motora funcional do paciente devido às possíveis complicações.

A responsável pela Equipe de Fisioterapia do HSC, Silvia Inês Ribeiro, acrescentou que dentro do papel do profissional, os principais objetivos são “tratar e prevenir: atrofias musculares, contraturas e deformidades, complicações respiratórias, auxiliar no controle da dor, prevenir complicações da síndrome do imobilismo, auxiliar na indicação e no processo de desmame da ventilação mecânica invasiva e não invasiva, auxiliar na indicação e no processo de desmame da oxigenoterapia, acelerar o processo de alta para evitar infecções hospitalares e promover uma melhor qualidade de vida em pacientes em cuidados paliativos”.

O fisioterapeuta hospitalar atua nas Enfermarias, Emergência e nas Unidades de Terapia Intensiva.  “A responsabilidade é avaliar, desenvolver e colocar em prática os procedimentos para reverter ou amenizar sequelas”, disse a fisioterapeuta, Eslene Fátima de Araújo.

“Nossa rotina hospitalar está voltada para a prevenção, promoção e proteção de disfunções sistêmicas com foco no diagnóstico cinético funcional”, pontuou Everton Willian Benevides Silva, fisioterapeuta da UTI Pediátrica.

COM OS PEQUENINOS

Segundo Camila Tainá Oliveira, da UTI Neonatal, os encantos da fisioterapia Neonatal e Pediátrica se iniciam na humanização. Tudo é pensado na qualidade de vida dos pequeninos. “Dentro dessas unidades há um respeito ainda maior pelos horários de visitas, cuidado com sons, ruídos e luminosidade e possibilidade dos pais realizarem o Método Canguru com seus bebês prematuros”. A atenção com os pais também é indispensável, tanto na participação deles em algumas condutas quanto nas orientações e troca de informações em relação à criança e sua patologia.

FAZENDO A DIFERENÇA

Os fisioterapeutas estão fazendo a diferença na vida dos pacientes internados na UTI em razão da Covid-19.  Eles têm papel essencial na manutenção e recuperação da função respiratória. Ana Karen Pinheiro, fisioterapeuta da UTI Respiratória, explicou que eles trabalham também para diminuir sequelas cardiorrespiratórias e motoras, devido às grandes complicações da Covid-19.

Para o médico intensivista Dr. Andrzej Wolski, o avanço na área de fisioterapia respiratória ao longo da pandemia do coronavírus foi impressionante. “A capacidade e o conhecimentos dos profissionais do HSC em relação a ventilação mecânica está fazendo toda a diferença para os pacientes com Covid-19”. Ele destacou que “o grupo da UTI é excepcional e eles estão brilhando na era Covid!”. Confira a seguir parte da equipe de fisioterapia do HSC.

Natal Solidário: Colaboradores garantem a magia do Natal para crianças e idosos

A campanha Natal Solidário arrecadou brinquedos, roupas, calçados além de chinelos e caixas de leite para a Associação Beneficente Semeando Esperança e Recanto do Vovô Antônio. As caixas de leite doadas para as crianças da casa de acolhimento foram através da solidariedade do Dr. Afonso Celso C. Soares.

Encanto de Natal: HSC premia os melhores enfeites

O HSC desenvolveu um concurso para incentivar a união, o trabalho em equipe e despertar a criatividade. Denominado Encanto de Natal, a ação contou com a participação dos colaboradores na produção de itens de decoração natalina utilizando materiais recicláveis. De acordo com o Recursos Humanos, ao todo, 30 itens foram produzidos e 40 colaboradores participaram. Foram premiados em dinheiro os três melhores itens de decoração. A escolha se deu por meio de uma comissão formada por integrantes do RH.

Em primeiro lugar ficou a árvore de Natal do Clebson dos Santos Pimentel, técnico de enfermagem da UCO. Ele contou que levou cerca de 20 dias para montar o item com materiais como cano de  PVC e arame de construção. Para fazer as folhas e flores, ele utilizou garrafas pet, caixa de leite e embalagens de produtos de limpeza além de embalagem de material cirúrgico.

“Para revestir todo o arame de construção eu utilizei saco verde de hamper que estavam rasgados e danificados e iriam para o lixo. Já na base eu utilizei ampolas vazias de medicamentos que foram utilizados no Hospital. Na parte embaixo das ampolas de medicamento para não ter contato direto com o chão eu utilizei um pedaço de caixa de isopor que vem medicamentos de empresas que enviam para a farmácia do Hospital”, disse o vencedor do concurso. “Agradeço muito ao Hospital Samaritano pela oportunidade que eu tive de demonstrar um pouco do meu talento. Para mim, isso foi um presente de Natal”, destacou.

A técnica de enfermagem da UCO, Bianca Aparecida Deldote Marques, uma das integrantes da equipe que levou o segundo lugar disse que “o concurso foi interessante. Usamos pneu reciclado, saquinhos, garrafa e caixas de luvas vazias”. A equipe produziu um Papai Noel com pneus. 

Ediram da Silva dos Santos, técnica de farmácia e uma das integrantes da equipe que ficou na terceira colocação disse que o concurso foi genial ainda mais porque os colaboradores produziram os enfeites para o Hospital. “Com uso de bobinas plásticas, caixas de isopor, rolo de papel higiênico, caixa de ovo e de leite, garrafa pet e frascos de medicamentos, fizemos uma árvore de Natal”. “Ficamos muito felizes em termos conseguido o prêmio. Em tempos de pandemia, o concurso veio para aliviar a minha mente. Tirei um tempo para pesquisar e fazer o artesanato”. 

Auxiliar administrativo se dedica há uma década ao HSC

Em janeiro, a auxiliar administrativo, Ivani Dourado da Silva, completou uma década de atuação contínua no HSC. Ivani, que trabalha na revisão de contas organizando prontuários e verificando cada documento para revisão e fatura, contou que – entre chegadas e partidas – já são 28 anos de dedicação ao Hospital.

Ela, que é extremamente comprometida com o que faz, disse estar realizada profissionalmente e que espera que “os jovens tenham a mesma determinação que eu tive há quase trinta anos e que ainda tenho”.

A coluna “Tempo de Casa” traz mensalmente a relação dos profissionais que completaram 5, 10, 15, 20, 25 e 30 anos de atuação no HSC. Em janeiro, apenas a Ivani completou idade suficiente para constar no espaço, mas, em fevereiro, 13 colaboradores estão fazendo entre cinco e vinte anos de HSC. Veja a lista.

Data de Admissão Colaborador Cargo Tempo de Casa
10/02/2014 Jose Carlos Q. da Silva                     Tec. de Enfermagem            5
10/02/2014 Caique A. Simenes                          Aux. de Almoxarifado      5
18/02/2014 Simone C. de Souza                          Tec. em Farmácia              5
05/02/2014 Thais F. da Silva                         Aux. de Limpeza               5
18/02/2014 Cristiane A. dos Santos                        Líder de Limpeza              5
03/02/2014 Adriana Silva Conceição                           Tec. de Enfermagem            5
16/02/2009 Anderson P. dos Santos                       Tec. de Enfermagem            10
16/02/2009 Iara da Silva Francisco dos Santos                Enfermeira                    10
16/02/2009 Antonio Silva Freitas                             Tec. de Enfermagem            10
25/02/2009 Erika Cristina Barbosa Mantovani                  Assistente Administrativo     10
16/02/2009 Janaina de O. Silva Flo-rencio               Enfermeira                    10
16/02/2009 Juliana A. B. da Silva                Enfermeira                    10
09/02/1999 Alexandre Gonzaga                                 Tec. de Enfermagem            20

HSC: a engrenagem de amor que faz acontecer

E lá se foi mais um ano, mais um ciclo que se fecha e uma página em branco que se abre para continuar a nossa história. O mês de dezembro sempre nos leva a fazer algumas reflexões, criar metas e nos encher de esperança em relação ao que desejamos para a nossa vida pessoal e para a nossa vida de Samaritano, que é uma das razões para nossas alegrias, evolução e aprendizado.

O dia a dia no ambiente hospitalar é singular. Só existe aqui. Todos têm a mesma responsabilidade de salvar vidas – do médico ao colaborador que varre a calçada. Somos uma grande família, cheia de diversidade, com pontos de vista diferentes, cada um com a sua percepção, conhecimento, valores, histórias de alegrias e algumas outras não tão alegres. Por alguma razão, estamos juntos na maior parte do nosso tempo de vida, fazendo a diferença na vida das pessoas e vivendo com elas os seus melhores e piores momentos. Alguns de nós escolhemos a área da saúde e alguns foram escolhidos, mas a maioria tem em comum, o amor, o comprometimento e o senso de responsabilidade.

Somos a alma, somos a engrenagem que faz a roda girar, somos o pulsar. Somos a esperança. Somos donos de imensa responsabilidade. Guardamos nossa dor no bolso, nossa família no coração e cuidamos da dor do desconhecido.

Somos especialistas em atendimento humanizado e, às vezes, nem nos damos conta disso, porque algumas das nossas atitudes são automáticas, fazem parte da gente. Somos especialistas em ir além.

O Serviço Social, por exemplo, tem o papel de acolher, orientar e direcionar. Em grande parte dos atendimentos, apenas ouvimos o outro, com carinho e respeito – nem sempre podemos mudar a realidade vivida, mas com empatia e criatividade promovemos o “você não está sozinho(a)”. E temos visto, todos os dias, colegas de trabalho que vão muito além das suas funções. Temos visto trabalho em equipe e comprometimento. O lado humano, da grande maioria está cada vez mais em evidência, o que nos dá a certeza de que estamos no caminho certo, com as pessoas certas.

Cada um de nós tem a sua responsabilidade, nosso trabalho é direcionado, temos uma escala e uma lista de tarefas. Higienizar, medicar, consertar, operar, conferir, comprar, pagar, contratar, preparar, examinar, agendar, servir, atender, cuidar, escutar, encaminhar, avaliar, fracionar, resolver, dentre inúmeros outros itens. Temos a missão de satisfazer as necessidades e expectativas de nossos clientes, da nossa chefia, da nossa família e as nossas. É muita coisa e, ainda assim, nós, esses bandos de apaixonados que somos vamos além, vamos muito além…

Temos colegas na Manutenção e Almoxarifado, que sobem em telhado, carregam peso, fazem as atividades mais pesadas imagináveis e, com muito carinho, trabalham em equipe com o Serviço Social e RH, para que as campanhas aconteçam, para que os meses fiquem coloridos, o Dia das Crianças mais alegre e para que os enfeites e as luzes brilhem no Natal.

Temos o privilégio de conviver diariamente com a equipe de higiene, que tem um sorriso que atravessa o coração. Que escutam as mazelas de desconhecidos com sensibilidade e compaixão.

Temos colegas médicos que compartilham histórias pessoais e muito íntimas com familiares em situação de muito sofrimento, para ficar lado o lado na dor, para proporcionar fé e esperança. Que são generosos, respeitosos, éticos e parceiros. Que são amigos, que são seres humanos especiais e espetaculares, com o dom divino de salvar vidas e minimizar sofrimento.

Temos a equipe de Nutrição que atende o desejo de alguns pacientes – que sabemos que não irão sair do hospital com vida (já servimos pé de frango, rabada, pão com mortadela, dentro outras iguarias muito especiais).

A equipe de Portaria, com um sorriso de bom dia e bom descano sempre amável e gentil – de verdade. Cordiais e solícitos, sem exceção. Temos colegas que falam na língua dos anjos, que fazem lindas preces e orações, que sempre acalentam o mais sofrido coração.

O que dizer da equipe da Enfermagem… é anjo em forma de gente. É luz, amor, esperança, compaixão. É colo de mãe, de vó…é salvação, esperança – é remédio doce pra dor, é filme de amor.

Em todos os setores, sem exceção existem, engrenagens, peças fundamentais e essenciais, com pessoas lindas e especiais, isto é, a equipe de superprofissionais: Same, Telefonistas, Revisão, Central de Guias, Contabilidade, Faturamento, Credenciamento, SAC, Agendamento, Compras, Financeiro, Laboratório , Banco de Sangue, Farmácia, Fonoaudiologia, Fisioterapia, Psicologia, Hotelaria, OPME, Central, Recepção e as Assistentes Sociais.

“A Diretoria dá muito valor para todos os colaboradores. Eles têm um carinho especial por todos nós, que fazemos o nosso trabalho ter um significado especial. Agradecem pela oportunidade de fazer parte da nossa história e por contribuir para o nosso sucesso, com votos de Carolina Furquim Degrande, gerente administrativa do HSC.

Que a união e o sentimento de amor, caridade e de boa vontade se estendam pelo próximo ano e que nossas ações sejam sempre recebidas com muita alegria e carinho. Desejamos a todos vocês um Feliz Natal e um Ano Novo muito próspero. Esperamos, por mais um ano, compartilhar os mais incríveis momentos e conquistas!

 Por Fabiane Furquim, Serviço Social Hospital Samaritano Campinas

Novembro Roxo: bebês se transformam em super-heróis para o Dia Mundial da Prematuridade

O mês de novembro é considerado pela ONU (Organização das Nações Unidas) como “Novembro Roxo”, o mês temático para conscientização da sociedade em relação à prematuridade. E, o dia 17 de novembro é comemorado o Dia Mundial da Prematuridade.

A equipe de enfermagem da UTI Neonatal teve a iniciativa de realizar uma ação alusiva à data e, com muito amor, fez lindas flores e cartazes que ficaram expostos na porta da Unidade.

Os bebês internados se transformaram em super-heróis e foram fotografados pela profissional Erika Almeida. Os pais dos bebês foram presenteados com brindes e receberam do HSC as fotos. “Preparamos, juntamente com a equipe de enfermagem, uma programação com as famílias e com os bebês e encerramos com a entrega das fotos dos super-heróis, que foi um dos momentos mais emocionantes da ação.” relatou a assistente social, Camila Cossari Ribeiro de Freitas.

O Dia Mundial da Prematuridade é celebrado em mais de 50 países desde 2009 com o intuito de reduzir a mortalidade, a taxa de internação e a prematuridade. O roxo foi escolhido como a cor da prematuridade porque tem dois significados importantes que é a sensibilidade e a transformação.

 

Prematuridade: o amor que chega mais cedo

O nascimento de um bebê é um momento carregado de emoções, sonhos, planos, idealizações e de AMOR! E quando este amor chega mais cedo? Ele foge dos planos e gera um turbilhão de emoções, não é mesmo? É um amor intenso, um amor que transborda! Mas ao mesmo tempo, traz um sentimento de medo, medo do que está por vir, do que é desconhecido, desse “mundo novo” chamado UTI Neonatal, com suas incubadoras e monitores. Pode impactar à primeira vista, mas depois de um tempinho, se entende a necessidade desse “mundo”, desse lugar de cuidado. Muitas mudanças acontecem com a chegada desse Ser tão especial. E diante de mudanças, são necessárias adaptações e, toda adaptação tem o seu tempo (da mãe e do bebê).

Pensando em todas essas questões, o Serviço Social e Psicologia do HSC promoveram uma roda de conversa, que aconteceu dia 16 de novembro no Hospital, com a participação de todos os pais dos bebês internados, equipe de enfermagem e uma convidada muito especial, a Vivian Leoni, mamãe de Maria Luiza que nasceu, em 2014, com 720gr e 29 semanas de gestação. Ela, com muita generosidade, compartilhou com o grupo as momentos vivenciados durante o período de internação de sua pequena. “Foi uma experiência assustadora, mas acabamos aprendendo a valorizar mais os progressos do que os momentos ruins”, disse. Os participantes puderam ainda trocar a vivência do dia a dia entre si. Já os profissionais, relataram como é cuidar de prematuros e enfatizaram a importância da oferta de suporte emocional aos pais.

Para a psicóloga, Monique Mioralli, é importante que os pais se permitam viver a cada dia, nos quais podem haver dias tristes e dias alegres, porém, “se permitam sentir as emoções deste momento presente. Vibrando a cada conquista, a cada superação e a cada batalha vencida por esse(a) pequeno(a) grande guerreiro(a)!”