Hospitais Samaritano se mobilizam pela saúde do homem

O mês de novembro remete às ações preventivas e aos cuidados com a saúde do homem especialmente relacionadas ao câncer de próstata. Denominada “Novembro Azul”, a campanha lembra a população sobre a importância da realização do exame para detecção do câncer de próstata e sobre os assuntos relacionados à doença. E, como de costume, os Hospitais Samaritano Americana, Campinas, Hortolândia, Paulínia e o Santa Ignês, em Indaiatuba, não vão deixar a data passar em branco. O PHS Samaritano Saúde também programou ações de conscientização. E, neste domingo (18), uma caminhada acontece em Americana.

Banners alusivos ao “Novembro Azul” foram instalados em todos os pontos de vendas e de atendimento do PHS Samaritano Saúde para chamar a atenção da sociedade sobre a questão do agendamento com o especialista para que ele solicite a realização de exames que detectem precocemente o câncer de próstata.

No Hospital Samaritano Campinas, as recepções estão decoradas com orquídeas na cor azul e cartazes informativos, que remetem ao tema. Um painel de balões com a imagem símbolo da campanha – o bigode – está montado na recepção da Internação. No dia 19 de novembro, um barbeiro estará na unidade para atender aos colaboradores do Hospital cortando a barba, o cabelo e o bigode. Haverá ainda palestra com urologista e um almoço especial que será servido aos colaboradores na última semana do mês de novembro.

“O HSC tem um número significativo de colaboradores homens e pessoas do sexo masculino que circulam diariamente pela unidade e terão acesso às informações sobre a campanha. As ações programadas são muito importantes para sensibilizar o maior número de pessoas, chamando a atenção para as questões relacionadas à saúde”, disse a coordenadora do Serviço Social e Relacionamento com o Cliente, Fabiane Furquim.

Em Indaiatuba, no Hospital Santa Ignês, a programação segue nos mesmos moldes do Hospital Samaritano Campinas com o oferecimento de corte de barba, cabelo e bigode aos colaboradores do sexo masculino, palestra, informações sobre o câncer de próstata, prevenção, diagnóstico e tratamento, além de um coffee break que será preparado pela equipe do Serviço de Nutrição e Dietética. Um vídeo informativo será apresentado aos colaboradores do Hospital. “Uma pessoa feliz e saudável terá uma melhor autoestima, e isso refletirá em sua vida e muito positivamente no seu trabalho e no atendimento aos pacientes”, disse Dra. Marcela Bailoni Marcílio, médica do Trabalho.

“O objetivo das nossas ações é promover satisfação e informação aos funcionários, diminuir o absenteísmo, o número de adoecimentos e melhorar a qualidade de vida dos nossos colaboradores”, completou a enfermeira do Trabalho do Hospital Santa Ignês, Raquel Christina Neimeir França. Nas unidades de Hortolândia e Paulínia, banners sobre o “Novembro Azul” foram colocados para incentivar o público masculino a cuidar da saúde.

CAMINHADA

Em Americana, neste domingo (18), acontece a segunda edição da caminhada “Novembro Azul”. A saída está marcada para às 9h em frente ao Hospital Samaritano Americana, localizado na Avenida Brasil, 1.110. O trajeto contempla parte da Avenida retornando ao ponto de partida.

A ação é solidária e vai ajudar o Lar dos Velhinhos São Vicente de Paula que receberá itens necessários para a manutenção da instituição. Os primeiros 150 participantes poderão adquirir uma camiseta alusiva à campanha. A renda será toda revertida ao Lar dos Velhinhos. Haverá também distribuição de brindes. A expectativa é que pelo menos 150 pessoas participem do evento.

Maria Luiza é transferida para hospital de referência

A pequena Maria Luiza de Brito Barbosa Sorg, de Aguaí, que completou em agosto um aninho e estava internada na UTI Ped desde que nasceu, foi transferida em outubro para um hospital em São Paulo referência em tratamento da Síndrome do Intestino Ultra Curto. Camila de Brito Reis Barbosa, mãe da Maria Luiza, postou em seu Facebook que será eternamente grata pelos cuidados e carinhos recebidos pela equipe do HSC.

“Amigos que nos dão palavras de coragem e que lutam para nos ver felizes são raros hoje em dia. E, nos tivemos a sorte de encontrar vocês, que trouxeram luz para o nosso caminho e tesouro para os nossos dias. Que o futuro permita que vocês alcancem todos os seus sonhos. Muita paz e amor. Jamais esquecerei o que fizeram por nós. Obrigada por todo o carinho e dedicação durante todo esse tempo que passamos juntos”, escreveu Camila à equipe do Hospital. A despedida da linda garotinha foi marcada por muita emoção.

HSC tem Comissão de Óbito para melhoria dos processos

Para minimizar ao máximo as falhas e melhorar os processos de atendimento, o Hospital Samaritano Campinas tem uma Comissão de Óbitos formada por médicos de diversas especialidades e enfermagem. Essa equipe é responsável por analisar os óbitos ocorridos na instituição, abrangendo Enfermaria e Unidades de Terapia Intensiva.

“A Comissão trabalha após análise prévia de cada óbito ocorrido nestes setores. O médico responsável leva para a reunião os óbitos que eventualmente ocorreram. Essas ocorrências podem ser divididas em estatísticas inerentes ao procedimento e falhas técnicas”, disse o diretor técnico do HSC, Dr. Sérgio A. Pinotti. De acordo com ele, “cada caso é analisado individualmente e levado à Comissão, que em conjunto procura chegar a uma conclusão sobre as condições de determinado óbito”.

A Comissão de Óbito baseia-se em princípios científicos, com o objetivo de melhorar o sistema minimizando ao máximo as falhas que possam ter ocorrido. “Quando não é possível chegar a uma conclusão a Comissão solicita esclarecimentos para a equipe multiprofissional, com o principal objetivo de melhoria de processos”, acrescentou.

Para Dr. Sérgio, o trabalho em equipe é fundamental para que qualquer tarefa seja realizada com sucesso. “Ajuda, principalmente, a promover uma comunicação mais assertiva através da união de profissionais com diferentes experiências e conhecimentos”, finalizou.

Capacitação ensina profissionais da UTI Neonatal do Samaritano Campinas técnicas do Método Canguru

Profissionais que atuam na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) Neonatal do HSC (Hospital Samaritano Campinas) participaram do curso de sensibilização no Método Canguru, ministrado pela consultora do Ministério da Saúde, Sandra Regina de Souza. A capacitação teve início no ano passado e atingiu 98% dos profissionais da Unidade. A equipe foi treinada para utilizar e implantar o Método, que possui inúmeras evidências de ser benéfico aos bebês prematuros (que nascem antes das 37 semanas de idade gestacional) e suas famílias. A ação contou com apoio de Luciene Banstarch, Ana Carolina Pereira, além da Tutora Estadual do Ministério da Saúde, Nelma Cabral, e da coordenação médica e de enfermagem da Unidade Neonatal e Educação Continuada do HSC.

A capacitação, segundo a consultora do Ministério da Saúde, envolveu atualização das técnicas de cuidados que inclui “desde o modo como posicionar o prematuro na incubadora; cuidados com a ambiência (ex: a redução da luminosidade e ruídos); estimulo a amamentação; o contato pele a pele; até o cuidado com os pais”. “A finalidade do curso é capacitar 100% da equipe e implantar as três etapas proposta pelo Ministério da Saúde para reduzir riscos para o prematuro”, explicou Sandra, que recentemente defendeu sua tese de doutorado sobre o assunto na USP (Universidade de São Paulo) de Ribeirão Preto.

“O curso de sensibilização projetado pelo Ministério tem duração de 24 horas, ministrado em três dias consecutivos, em que os profissionais passam por uma imersão no Método. O que fazemos é aplicar o curso de forma dinâmica e participativa, para que a equipe possa analisar a sua vivência e elaborar a transformação da prática, pautada em evidências científicas e de acordo com a recomendação do órgão federal. Ao final do curso, além de realizarem atividades práticas, a equipe elabora propostas de melhorias ao atendimento, partindo da realidade do hospital,” acrescentou Sandra.

De acordo com a consultora, após os três cursos ministrados em 2018, a coordenação da Unidade Neonatal do Hospital Samaritano já está implantando as estratégias do Método Canguru e já promoveu importantes mudanças na Unidade, incluindo avanços na ambiência, a utilização de “ninhos” para posicionamento do prematuro e a implantação da posição canguru.

 

BENEFÍCIOS

“No Samaritano Campinas, o Método teve início em 2017 e é um dos poucos hospitais particulares da cidade que aplicam essa metodologia. O Método Canguru possui diversas vantagens para o bebê e a família, como por exemplo, possibilita ao recém-nascido o adequado controle da temperatura; reduz o risco de infecção hospitalar; diminui o estresse e a dor; melhora a qualidade do desenvolvimento do prematuro; estimula e aumenta o aleitamento materno; facilita o vínculo afetivo do bebê com a mãe/pai e possibilita maior habilidade dos pais no cuidado do seu filho, inclusive após a alta para casa”, destacou Sandra.

 

O CURSO

O Ministério da Saúde estimula a participação da equipe multiprofissional no curso, ou seja, médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, terapeutas ocupacional, psicólogos, técnicos em enfermagem, nutricionista e assistente social. “No dia a dia, é preciso que a equipe atue de forma conjunta e ‘fale a mesma língua’ para que o resultado seja efetivo, por isso é muito importante a participação de todos os profissionais nos cursos”, reforçou a especialista.

“Nos hospitais, o curso de sensibilização é ministrado pelos Tutores Estaduais capacitados pelo Ministério da Saúde. O Ministério também está expandindo esse curso para a Atenção Básica de Saúde a fim de realizar um cuidado compartilhado. O Hospital que tem a equipe sensibilizada para o Método Canguru e as etapas implantadas, oferece um cuidado especializado para o bebê e para a família reduzindo riscos de morbidade (doenças) e a mortalidade. No Brasil, temos 27 Referências Estaduais e 6 Referências Nacionais, em que profissionais podem buscar informações sobre o Método”, explicou Sandra que é consultora nacional do Método Canguru e atua como enfermeira na Unicamp, que é uma referência nacional para hospitais de ensino.

O curso também promove discussões sobre saúde do trabalhador, ou seja, cuidados com a equipe que atua na Unidade Neonatal. “É preciso cuidar do profissional que trabalha nessa unidade, pois a equipe precisa ‘estar bem’ para cuidar do recém-nascido e da família”, completou Sandra.

“O Método é apaixonante, principalmente porque ele salva vidas e além de salvar vidas, promove qualidade de vida para os bebês que nasceram prematuros. Amo ministrar o curso, pois além de ter inúmeras evidências científicas dos benefícios, sei que os bebês e suas famílias são cuidados de uma maneira diferenciada pela equipe que foi sensibilizada. Saber que vou contribuir para salvar vidas e melhorar a assistência é muito gratificante”, disse a consultora em relação a capacitação de equipes.

 

O QUE É

O Método Canguru teve início na Colômbia com o intuito de reduzir infecção, melhorar os cuidados prestados ao recém-nascido prematuros e/ou de baixo peso, reduzir a mortalidade e acabou expandindo para o mundo. No Brasil, tornou-se uma Política Pública do Ministério da Saúde e é norteado pela portaria 930. Ele tem por objetivo estabelecer um modelo de atenção humanizada e qualificada ao recém-nascido prematuro e baixo peso e família.

A enfermeira especializada na técnica explicou que existe uma diferença entre a Posição Canguru (contato pele a pele) e o Método Canguru. “O Método Canguru reúne várias estratégias de intervenção que favorece o cuidado ao recém-nascido e à sua família. Tem início no pré-natal de risco e dá continuidade na unidade Neonatal e segue após a alta hospitalar (até o bebê completar peso de 2.500g). Ele promove a participação dos pais nos cuidados com o bebê desde a internação, preparando-os progressivamente para a alta”, falou.

“Já a Posição Canguru, que é uma das estratégias do Método Canguru, consiste em manter o bebê em contato pele a pele com os pais pelo tempo máximo que seja prazeroso para eles. É importante que o bebê esteja sem roupa (só de fralda) e que fique em contato com a pele com mãe (dentro da camisola), pois o contado da pele do recém-nascido com a pele da mãe/pai é o que irá aquecê-lo, protegê-lo e promover estímulo”, completou. Ela acrescentou ainda, que o contato pele a pele, pode e deve ser feito em casa, quando o prematuro tem alta do Hospital. “O contato também promove benefícios para os bebês que nasceram a termo, ou seja, no ‘tempo certo’, assim, apesar das grandes vantagens serem para o prematuro, a posição canguru é indicada para todos os bebês”, finalizou. De acordo com a consultora, a OMS (Organização Mundial de Saúde) recomenda o Método Canguru.    

Medicina Ocupacional reforça a qualidade de vida

Os colaboradores dos Hospitais Samaritano e do plano de saúde PHS Samaritano Saúde contam com uma equipe de Medicina Ocupacional que determina, a partir da avaliação dos riscos existentes no ambiente de trabalho, os exames que os colaboradores devem realizar de forma preventiva.

“Além de realizamos os exames periódicos obrigatórios, temos um projeto de qualidade de vida já inserido no próprio exame ocupacional. Nele, solicitamos aos colaboradores exames de glicemia, colesterol e triglicérides. A análise desses exames é feita pessoalmente em consulta comigo durante os periódicos.  A partir da análise clínica dos resultados, fazemos as orientações e encaminhamentos necessários. Com a ajuda de minha equipe agilizamos e acompanhamos o agendamento com os especialistas”, explicou a médica do Trabalho, Dra. Marcela Bailoni Marcilio.

‘Agosto Dourado’ no HSC reforça importância do aleitamento materno

Em alusão ao mês voltado às ações de incentivo à amamentação, o “Agosto Dourado”, o Hospital Samaritano Campinas promoveu uma exposição de fotos com mães amamentando no Pronto-Socorro da Ginecologia e na Recepção da Internação e, na última semana do mês, todos os recém-nascidos ganharam um balão dourado.

Já as puérperas, receberam a visita de uma equipe formada pela enfermeira, Siméia Feltrin, a assistente social, Camila C.R. de Freitas, e a psicóloga, Monique Mioralli. As profissionais falaram sobre a importância da amamentação e do vínculo entre mãe e bebê.

   

A Maternidade foi decorada com laços na cor dourada para remeter ao tema.
O “Agosto Dourado” é um mês voltado também à sensibilização de profissionais e da população em geral para a importância do ato de amamentar, buscando o apoio e o estímulo ao gesto. O dourado faz alusão à definição da OMS (Organização Mundial da Saúde) para o leite materno: alimento de ouro para a saúde dos bebês.

‘Cantinho do Elogio’ quer valorizar e reconhecer o trabalho dos colaboradores do HSC

O HSC está implantando um importante projeto de valorização e reconhecimento dos colaboradores. Trata-se do “Cantinho do Elogio”. Ele foi criado pelas equipes de Recursos Humanos e Relacionamento com o Cliente com o objetivo de valorizar e reconhecer o empenho de cada um, sob o olhar de gratidão dos clientes Samaritano.

No corredor em frente à sala da coordenação de enfermagem, foi fixado um quadro de elogios. Neste espaço, ficam expostos os elogios feitos pelos clientes, em relação ao atendimento recebido.

 

 

PREMIAÇÃO

A premiação será individual, com avaliação trimestral. O colaborador que receber mais de um elogio, dentro do período de três meses, será contemplado com a premiação e a sua foto ficará exposta no banner dos melhores do trimestre.

Na primeira etapa do projeto será necessário que, todos os colaboradores, respondam a pesquisa de premiação, que está disponível na urna próxima ao quadro dos elogios, até o dia 10/10/2018.

O cronograma tem ainda a captação, contagem e tabulação dos elogios recebidos entre os meses de outubro a dezembro de 2018. A primeira premiação, que irá contemplar os melhores do trimestre, será em janeiro de 2019.

 INSPIRAÇÃO

O “Cantinho do Elogio” foi inspirado no maqueiro do Centro Cirúrgico, Elias Andrade Pereira. Um colaborador ímpar que recebe em média 15 elogios por semestre – número contabilizado no primeiro semestre de 2018. Um profissional que vai além das funções que lhe foram atribuídas e que, se destaca, pela empatia e amor dedicados aos clientes.

Tratamento do aneurisma da aorta mantém Hospital como pioneiro e inovador no uso da tecnologia

Após a realização de duas cirurgias pioneiras no Brasil pelo cirurgião vascular do HSC, Dr. Guilherme V. Meirelles, mais um procedimento inédito no país colocou o Hospital como um dos mais atuantes na vanguarda da cirurgia do aneurisma da aorta.

De acordo com o especialista, o primeiro procedimento consistiu no tratamento de um aneurisma do arco aórtico, “através de uma endoprotese ramificada para arco aórtico, produzida na Austrália especificamente para o paciente”. O segundo caso foi outro aneurisma da aorta, “agora justa renal, tratado com uma prótese produzida nos Estados Unidos – também exclusivamente para o paciente já submetido a diversos tratamentos anteriores como de aneurisma da aorta torácica e infra-renal. Foi o primeiro caso com esta prótese em toda América Latina”, contou Dr. Meirelles.

Continue lendo “Tratamento do aneurisma da aorta mantém Hospital como pioneiro e inovador no uso da tecnologia”

Samaritano Campinas implanta Programa de Cirurgia Cardíaca Infantil

O Hospital Samaritano Campinas implantou um serviço para melhorar o atendimento aos recém-nascidos e crianças com problemas cardíacos. Trata-se do Programa de Cirurgia Cardíaca Infantil, que já está em funcionamento na unidade.

Continue lendo “Samaritano Campinas implanta Programa de Cirurgia Cardíaca Infantil”

Dr. Menezes: um homem exemplo de competência, confiabilidade e dedicação à família e à medicina

No dia 09 de junho, o cofundador do Hospital Samaritano Campinas, o médico radiologista e patologista Dr. José Ribeiro de Menezes Netto faleceu. Por quase toda a sua vida, se dedicou ao atendimento de pacientes do Hospital e a lecionar em importantes faculdades. Para ele, compartilhar conhecimento era essencial.

Era conhecido e reconhecido por ser um profissional brilhante e para sua família, marido, pai e avô exemplar. Por onde passava deixava rastros de conhecimento e respeito ao próximo. Carinhosamente chamado por “Juca” por sua esposa, Mara Silvia Carvalho de Menezes, Dr. Menezes dividiu sua vida com ela por 54 anos. Deixou dois filhos médicos, Dra. Ana Silvia (especialista em anatomia patológica e responsável pelo Laboratório Menezes) e Dr. Luís Fernando (pesquisador que atua no National Institutes of Health, um dos maiores centros de pesquisas dos EUA), além de ter três netos, Lucas, Thomas e Laura e a nora, médica radiologista, Dra. Andréia (pesquisadora no Johns Hopkins). Além, é claro de uma porção de amigos e admiradores.

Agora, segundo Mara, a missão não tem sido fácil. “Durante mais de 50 anos, dividimos nossas tarefas e rotinas e, sem ele, estou tendo que aprender. Mas nada disso me entristece pois sei que ele viveu e morreu com muita dignidade, foi um homem que nos poupou até na hora de sua partida”, contou. “Ao se despedir de nós, ele disse que estava pronto para encontrar o Criador, que sua vida foi realizada e que teve a melhor família que poderia ter. Disse que estava em paz, sentindo uma enorme gratidão por tudo que viveu. E por fim, pediu que disséssemos a seus amigos, que foi um privilégio tê-los tido como amigos”, acrescentou emocionada. Mara faz parte do conselho deliberativo da Federação Amor Exigente e foi cofundadora do programa no Brasil e na América Latina. Atua como voluntária há 33 anos.

COMPETÊNCIA ERA SUA MARCA

Para o diretor técnico do HSC, Dr. Sérgio Pinotti, Dr. Menezes foi um profissional dedicado e extremamente competente e atualizado. “Estava sempre pronto para discutir os casos com os profissionais mais jovens, como eu. Tanto na patologia quanto na radiologia. Sempre solicito, nunca se recusava a dar atenção e ensinamentos. Estudioso, estava sempre se atualizando e, embora tenhamos perdido o contato por alguns anos, acabei reencontrando-o no Hospital Samaritano Campinas. E, apesar do tempo em que ficamos distantes, ele se manteve o mesmo: acessível e comprometido. Além da dedicação à medicina, estava sempre atento aos acontecimentos políticos do país. Seus companheiros inseparáveis eram o IPAD e o jornal O Estado de S. Paulo. Figura que será sempre lembrada nos anais do Hospital Samaritano Campinas”.