Estudo realizado no Hospital Samaritano Campinas aponta redução de risco de morte devido à Covid-19

Imagem ilustrativa

O Hospital Samaritano Campinas participou do estudo do Hospital Israelita Albert Einstein que analisou o uso do medicamento tofacitinibe da Pfeizer para a diminuição dos riscos de complicações em razão da Covid-19. 28 pacientes do Hospital Samaritano que estavam internados com pneumonia por Covid-19 fizeram parte da pesquisa, que aconteceu entre setembro e dezembro de 2020.

No dia 16 de junho, foi publicado um artigo na revista médica de maior impacto no mundo The New England Journal of Medicine que mostra o resultado do trabalho realizado. Segundo a publicação, o tratamento feito com o medicamento tofacitinibe conseguiu reduzir em 37% a chance de morte ou de piora no quadro de insuficiência respiratória em pacientes com Covid-19.

Durante os ensaios, 289 pacientes internados contra a doença participaram do estudo. 10% deles eram pacientes no Hospital Samaritano Campinas. De acordo com o médico do Hospital, Dr. Hugo Bertipaglia “o Hospital está sempre à frente buscando soluções e melhorias para os seus pacientes.” Em razão da quantidade de pacientes que participaram do estudo, o Hospital Samaritano alcançou a segunda colocação no Brasil no ranking de Centros de Tratamentos incluídos na pesquisa.

O estudo foi capitaneado pelo cardiologista Dr. José Francisco Kerr Saraiva que é diretor do Instituto de Pesquisa Clínica de Campinas em conjunto com médicos do Hospital Samaritano Campinas. Dr. Hugo é subinvestigador desse estudo.

“A utilização do medicamento, associado a tratamento padrão, reduziu o risco de morte ou de insuficiência respiratória em pacientes hospitalizados com pneumonia por Covid-19. Esses pacientes não estavam precisando de ventilação mecânica ou de ventilação não invasiva”, disse Dr. Hugo. “A medicação pode se transformar em um grande recurso contra a Covid-19. E nos trouxe muita alegria porque até então, não havíamos encontrado nenhum outro medicamento que apresentasse esse resultado”. O tofacitinibe é indicado para o tratamento da artrite reumatoide, artrite psoriásica e retocolite ulcerativa.

Conforme trouxe o artigo publicado, do total pacientes, um grupo recebeu 10 miligramas do tofacitinibe por duas vezes diariamente até a alta ou 14 dias de hospitalização. Já o que recebeu o placebo passou pelo tratamento padrão contra a Covid-19. As pessoas que receberam o medicamento apresentaram uma chance reduzida em 37% de morte ou falência respiratória.

Denominada STOP-COVID, a pesquisa foi liderada e coordenada pela Academic Research Organization (ARO) do Einstein em centros brasileiros de tratamento – incluindo o Hospital Samaritano Campinas – em parceria com a Pfizer e publicada pelo The New England Journal of Medicine.