Novembro Roxo: bebês se transformam em super-heróis para o Dia Mundial da Prematuridade

O mês de novembro é considerado pela ONU (Organização das Nações Unidas) como “Novembro Roxo”, o mês temático para conscientização da sociedade em relação à prematuridade. E, o dia 17 de novembro é comemorado o Dia Mundial da Prematuridade.

A equipe de enfermagem da UTI Neonatal teve a iniciativa de realizar uma ação alusiva à data e, com muito amor, fez lindas flores e cartazes que ficaram expostos na porta da Unidade.

Os bebês internados se transformaram em super-heróis e foram fotografados pela profissional Erika Almeida. Os pais dos bebês foram presenteados com brindes e receberam do HSC as fotos. “Preparamos, juntamente com a equipe de enfermagem, uma programação com as famílias e com os bebês e encerramos com a entrega das fotos dos super-heróis, que foi um dos momentos mais emocionantes da ação.” relatou a assistente social, Camila Cossari Ribeiro de Freitas.

O Dia Mundial da Prematuridade é celebrado em mais de 50 países desde 2009 com o intuito de reduzir a mortalidade, a taxa de internação e a prematuridade. O roxo foi escolhido como a cor da prematuridade porque tem dois significados importantes que é a sensibilidade e a transformação.

 

Prematuridade: o amor que chega mais cedo

O nascimento de um bebê é um momento carregado de emoções, sonhos, planos, idealizações e de AMOR! E quando este amor chega mais cedo? Ele foge dos planos e gera um turbilhão de emoções, não é mesmo? É um amor intenso, um amor que transborda! Mas ao mesmo tempo, traz um sentimento de medo, medo do que está por vir, do que é desconhecido, desse “mundo novo” chamado UTI Neonatal, com suas incubadoras e monitores. Pode impactar à primeira vista, mas depois de um tempinho, se entende a necessidade desse “mundo”, desse lugar de cuidado. Muitas mudanças acontecem com a chegada desse Ser tão especial. E diante de mudanças, são necessárias adaptações e, toda adaptação tem o seu tempo (da mãe e do bebê).

Pensando em todas essas questões, o Serviço Social e Psicologia do HSC promoveram uma roda de conversa, que aconteceu dia 16 de novembro no Hospital, com a participação de todos os pais dos bebês internados, equipe de enfermagem e uma convidada muito especial, a Vivian Leoni, mamãe de Maria Luiza que nasceu, em 2014, com 720gr e 29 semanas de gestação. Ela, com muita generosidade, compartilhou com o grupo as momentos vivenciados durante o período de internação de sua pequena. “Foi uma experiência assustadora, mas acabamos aprendendo a valorizar mais os progressos do que os momentos ruins”, disse. Os participantes puderam ainda trocar a vivência do dia a dia entre si. Já os profissionais, relataram como é cuidar de prematuros e enfatizaram a importância da oferta de suporte emocional aos pais.

Para a psicóloga, Monique Mioralli, é importante que os pais se permitam viver a cada dia, nos quais podem haver dias tristes e dias alegres, porém, “se permitam sentir as emoções deste momento presente. Vibrando a cada conquista, a cada superação e a cada batalha vencida por esse(a) pequeno(a) grande guerreiro(a)!”

HSC participa do “Papai Noel dos Correios”

Colaboradores do HSC que participaram da campanha “Natal Solidário” se reuniram para registrar o espírito natalino que, nesta época do ano, se fortalece. “Natal Solidário” foi uma ação desenvolvida pelo Serviço Social do HSC e voltada aos colaboradores que adotaram cartas de crianças carentes destinadas ao Papai Noel, através do projeto “Papai Noel dos Correios”.

“Retiramos nos Correios um total de 30 cartas e atendemos uma média de 40 crianças. Dos presentes de maior custo conseguimos um total de cinco bicicletas e três patins. Todas as cartas foram adotadas, graças a solidariedade de todos os envolvidos”, contou Fabiane Furquim, coordenadora do Serviço Social e Relacionamento com o Cliente.

Os presentes foram todos entregues na unidade dos Correios da Avenida João Jorge, no dia 14 de dezembro. “Agradecemos, especialmente, as pessoas que não puderam comparecer na foto, ao Dr. Hugo que mobilizou a equipe médica da UCO, ao Dr. Jaciro, a equipe de Farmácia, Financeiro e a Márcia DiCaprio”, disse Fabiane.

“Quando o Natal se aproxima, o espírito solidário costuma se revigorar. A data sensibiliza as pessoas criando um cenário que deveria existir durante o ano inteiro. Que o espírito de solidariedade nos contagie e se estenda pelo ano de 2019”, desejou a coordenadora.

Hospitais Samaritano se mobilizam pela saúde do homem

O mês de novembro remete às ações preventivas e aos cuidados com a saúde do homem especialmente relacionadas ao câncer de próstata. Denominada “Novembro Azul”, a campanha lembra a população sobre a importância da realização do exame para detecção do câncer de próstata e sobre os assuntos relacionados à doença. E, como de costume, os Hospitais Samaritano Americana, Campinas, Hortolândia, Paulínia e o Santa Ignês, em Indaiatuba, não vão deixar a data passar em branco. O PHS Samaritano Saúde também programou ações de conscientização. E, neste domingo (18), uma caminhada acontece em Americana.

Banners alusivos ao “Novembro Azul” foram instalados em todos os pontos de vendas e de atendimento do PHS Samaritano Saúde para chamar a atenção da sociedade sobre a questão do agendamento com o especialista para que ele solicite a realização de exames que detectem precocemente o câncer de próstata.

No Hospital Samaritano Campinas, as recepções estão decoradas com orquídeas na cor azul e cartazes informativos, que remetem ao tema. Um painel de balões com a imagem símbolo da campanha – o bigode – está montado na recepção da Internação. No dia 19 de novembro, um barbeiro estará na unidade para atender aos colaboradores do Hospital cortando a barba, o cabelo e o bigode. Haverá ainda palestra com urologista e um almoço especial que será servido aos colaboradores na última semana do mês de novembro.

“O HSC tem um número significativo de colaboradores homens e pessoas do sexo masculino que circulam diariamente pela unidade e terão acesso às informações sobre a campanha. As ações programadas são muito importantes para sensibilizar o maior número de pessoas, chamando a atenção para as questões relacionadas à saúde”, disse a coordenadora do Serviço Social e Relacionamento com o Cliente, Fabiane Furquim.

Em Indaiatuba, no Hospital Santa Ignês, a programação segue nos mesmos moldes do Hospital Samaritano Campinas com o oferecimento de corte de barba, cabelo e bigode aos colaboradores do sexo masculino, palestra, informações sobre o câncer de próstata, prevenção, diagnóstico e tratamento, além de um coffee break que será preparado pela equipe do Serviço de Nutrição e Dietética. Um vídeo informativo será apresentado aos colaboradores do Hospital. “Uma pessoa feliz e saudável terá uma melhor autoestima, e isso refletirá em sua vida e muito positivamente no seu trabalho e no atendimento aos pacientes”, disse Dra. Marcela Bailoni Marcílio, médica do Trabalho.

“O objetivo das nossas ações é promover satisfação e informação aos funcionários, diminuir o absenteísmo, o número de adoecimentos e melhorar a qualidade de vida dos nossos colaboradores”, completou a enfermeira do Trabalho do Hospital Santa Ignês, Raquel Christina Neimeir França. Nas unidades de Hortolândia e Paulínia, banners sobre o “Novembro Azul” foram colocados para incentivar o público masculino a cuidar da saúde.

CAMINHADA

Em Americana, neste domingo (18), acontece a segunda edição da caminhada “Novembro Azul”. A saída está marcada para às 9h em frente ao Hospital Samaritano Americana, localizado na Avenida Brasil, 1.110. O trajeto contempla parte da Avenida retornando ao ponto de partida.

A ação é solidária e vai ajudar o Lar dos Velhinhos São Vicente de Paula que receberá itens necessários para a manutenção da instituição. Os primeiros 150 participantes poderão adquirir uma camiseta alusiva à campanha. A renda será toda revertida ao Lar dos Velhinhos. Haverá também distribuição de brindes. A expectativa é que pelo menos 150 pessoas participem do evento.

Maria Luiza é transferida para hospital de referência

A pequena Maria Luiza de Brito Barbosa Sorg, de Aguaí, que completou em agosto um aninho e estava internada na UTI Ped desde que nasceu, foi transferida em outubro para um hospital em São Paulo referência em tratamento da Síndrome do Intestino Ultra Curto. Camila de Brito Reis Barbosa, mãe da Maria Luiza, postou em seu Facebook que será eternamente grata pelos cuidados e carinhos recebidos pela equipe do HSC.

“Amigos que nos dão palavras de coragem e que lutam para nos ver felizes são raros hoje em dia. E, nos tivemos a sorte de encontrar vocês, que trouxeram luz para o nosso caminho e tesouro para os nossos dias. Que o futuro permita que vocês alcancem todos os seus sonhos. Muita paz e amor. Jamais esquecerei o que fizeram por nós. Obrigada por todo o carinho e dedicação durante todo esse tempo que passamos juntos”, escreveu Camila à equipe do Hospital. A despedida da linda garotinha foi marcada por muita emoção.

HSC tem Comissão de Óbito para melhoria dos processos

Para minimizar ao máximo as falhas e melhorar os processos de atendimento, o Hospital Samaritano Campinas tem uma Comissão de Óbitos formada por médicos de diversas especialidades e enfermagem. Essa equipe é responsável por analisar os óbitos ocorridos na instituição, abrangendo Enfermaria e Unidades de Terapia Intensiva.

“A Comissão trabalha após análise prévia de cada óbito ocorrido nestes setores. O médico responsável leva para a reunião os óbitos que eventualmente ocorreram. Essas ocorrências podem ser divididas em estatísticas inerentes ao procedimento e falhas técnicas”, disse o diretor técnico do HSC, Dr. Sérgio A. Pinotti. De acordo com ele, “cada caso é analisado individualmente e levado à Comissão, que em conjunto procura chegar a uma conclusão sobre as condições de determinado óbito”.

A Comissão de Óbito baseia-se em princípios científicos, com o objetivo de melhorar o sistema minimizando ao máximo as falhas que possam ter ocorrido. “Quando não é possível chegar a uma conclusão a Comissão solicita esclarecimentos para a equipe multiprofissional, com o principal objetivo de melhoria de processos”, acrescentou.

Para Dr. Sérgio, o trabalho em equipe é fundamental para que qualquer tarefa seja realizada com sucesso. “Ajuda, principalmente, a promover uma comunicação mais assertiva através da união de profissionais com diferentes experiências e conhecimentos”, finalizou.

Capacitação ensina profissionais da UTI Neonatal do Samaritano Campinas técnicas do Método Canguru

Profissionais que atuam na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) Neonatal do HSC (Hospital Samaritano Campinas) participaram do curso de sensibilização no Método Canguru, ministrado pela consultora do Ministério da Saúde, Sandra Regina de Souza. A capacitação teve início no ano passado e atingiu 98% dos profissionais da Unidade. A equipe foi treinada para utilizar e implantar o Método, que possui inúmeras evidências de ser benéfico aos bebês prematuros (que nascem antes das 37 semanas de idade gestacional) e suas famílias. A ação contou com apoio de Luciene Banstarch, Ana Carolina Pereira, além da Tutora Estadual do Ministério da Saúde, Nelma Cabral, e da coordenação médica e de enfermagem da Unidade Neonatal e Educação Continuada do HSC.

A capacitação, segundo a consultora do Ministério da Saúde, envolveu atualização das técnicas de cuidados que inclui “desde o modo como posicionar o prematuro na incubadora; cuidados com a ambiência (ex: a redução da luminosidade e ruídos); estimulo a amamentação; o contato pele a pele; até o cuidado com os pais”. “A finalidade do curso é capacitar 100% da equipe e implantar as três etapas proposta pelo Ministério da Saúde para reduzir riscos para o prematuro”, explicou Sandra, que recentemente defendeu sua tese de doutorado sobre o assunto na USP (Universidade de São Paulo) de Ribeirão Preto.

“O curso de sensibilização projetado pelo Ministério tem duração de 24 horas, ministrado em três dias consecutivos, em que os profissionais passam por uma imersão no Método. O que fazemos é aplicar o curso de forma dinâmica e participativa, para que a equipe possa analisar a sua vivência e elaborar a transformação da prática, pautada em evidências científicas e de acordo com a recomendação do órgão federal. Ao final do curso, além de realizarem atividades práticas, a equipe elabora propostas de melhorias ao atendimento, partindo da realidade do hospital,” acrescentou Sandra.

De acordo com a consultora, após os três cursos ministrados em 2018, a coordenação da Unidade Neonatal do Hospital Samaritano já está implantando as estratégias do Método Canguru e já promoveu importantes mudanças na Unidade, incluindo avanços na ambiência, a utilização de “ninhos” para posicionamento do prematuro e a implantação da posição canguru.

 

BENEFÍCIOS

“No Samaritano Campinas, o Método teve início em 2017 e é um dos poucos hospitais particulares da cidade que aplicam essa metodologia. O Método Canguru possui diversas vantagens para o bebê e a família, como por exemplo, possibilita ao recém-nascido o adequado controle da temperatura; reduz o risco de infecção hospitalar; diminui o estresse e a dor; melhora a qualidade do desenvolvimento do prematuro; estimula e aumenta o aleitamento materno; facilita o vínculo afetivo do bebê com a mãe/pai e possibilita maior habilidade dos pais no cuidado do seu filho, inclusive após a alta para casa”, destacou Sandra.

 

O CURSO

O Ministério da Saúde estimula a participação da equipe multiprofissional no curso, ou seja, médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, terapeutas ocupacional, psicólogos, técnicos em enfermagem, nutricionista e assistente social. “No dia a dia, é preciso que a equipe atue de forma conjunta e ‘fale a mesma língua’ para que o resultado seja efetivo, por isso é muito importante a participação de todos os profissionais nos cursos”, reforçou a especialista.

“Nos hospitais, o curso de sensibilização é ministrado pelos Tutores Estaduais capacitados pelo Ministério da Saúde. O Ministério também está expandindo esse curso para a Atenção Básica de Saúde a fim de realizar um cuidado compartilhado. O Hospital que tem a equipe sensibilizada para o Método Canguru e as etapas implantadas, oferece um cuidado especializado para o bebê e para a família reduzindo riscos de morbidade (doenças) e a mortalidade. No Brasil, temos 27 Referências Estaduais e 6 Referências Nacionais, em que profissionais podem buscar informações sobre o Método”, explicou Sandra que é consultora nacional do Método Canguru e atua como enfermeira na Unicamp, que é uma referência nacional para hospitais de ensino.

O curso também promove discussões sobre saúde do trabalhador, ou seja, cuidados com a equipe que atua na Unidade Neonatal. “É preciso cuidar do profissional que trabalha nessa unidade, pois a equipe precisa ‘estar bem’ para cuidar do recém-nascido e da família”, completou Sandra.

“O Método é apaixonante, principalmente porque ele salva vidas e além de salvar vidas, promove qualidade de vida para os bebês que nasceram prematuros. Amo ministrar o curso, pois além de ter inúmeras evidências científicas dos benefícios, sei que os bebês e suas famílias são cuidados de uma maneira diferenciada pela equipe que foi sensibilizada. Saber que vou contribuir para salvar vidas e melhorar a assistência é muito gratificante”, disse a consultora em relação a capacitação de equipes.

 

O QUE É

O Método Canguru teve início na Colômbia com o intuito de reduzir infecção, melhorar os cuidados prestados ao recém-nascido prematuros e/ou de baixo peso, reduzir a mortalidade e acabou expandindo para o mundo. No Brasil, tornou-se uma Política Pública do Ministério da Saúde e é norteado pela portaria 930. Ele tem por objetivo estabelecer um modelo de atenção humanizada e qualificada ao recém-nascido prematuro e baixo peso e família.

A enfermeira especializada na técnica explicou que existe uma diferença entre a Posição Canguru (contato pele a pele) e o Método Canguru. “O Método Canguru reúne várias estratégias de intervenção que favorece o cuidado ao recém-nascido e à sua família. Tem início no pré-natal de risco e dá continuidade na unidade Neonatal e segue após a alta hospitalar (até o bebê completar peso de 2.500g). Ele promove a participação dos pais nos cuidados com o bebê desde a internação, preparando-os progressivamente para a alta”, falou.

“Já a Posição Canguru, que é uma das estratégias do Método Canguru, consiste em manter o bebê em contato pele a pele com os pais pelo tempo máximo que seja prazeroso para eles. É importante que o bebê esteja sem roupa (só de fralda) e que fique em contato com a pele com mãe (dentro da camisola), pois o contado da pele do recém-nascido com a pele da mãe/pai é o que irá aquecê-lo, protegê-lo e promover estímulo”, completou. Ela acrescentou ainda, que o contato pele a pele, pode e deve ser feito em casa, quando o prematuro tem alta do Hospital. “O contato também promove benefícios para os bebês que nasceram a termo, ou seja, no ‘tempo certo’, assim, apesar das grandes vantagens serem para o prematuro, a posição canguru é indicada para todos os bebês”, finalizou. De acordo com a consultora, a OMS (Organização Mundial de Saúde) recomenda o Método Canguru.    

Dia do Médico tem comemoração especial no HSC

Em comemoração ao Dia do Médico, celebrado em 18 de agosto, o Serviço Social em parceria com a equipe de Nutrição do HSC, preparou um delicioso café da manhã, que aconteceu no dia 19. O ambiente foi todo decorado com mensagens de agradecimento aos nobres profissionais.

De acordo com a assistente social, Fabiane Furquim, o Serviço Social esteve presente durante o evento, que teve início às 9h e terminou às 16h.  “Foi muito especial sentir a alegria e a gratidão dos profissionais que estiveram conosco. Momentos como esses fortalecem as relações e melhoram a comunicação”, avaliou Fabiane.

Para celebrar o Dia das Crianças, filhos de colaboradores ganham festa

Pelo segundo ano consecutivo, o HSC realizou a festa de Dia das Crianças para os filhos dos colaboradores do Hospital. Crianças de 0 a 12 anos puderam participar da confraternização que contou com pintura artística, escultura de balões, pipoca, cachorro quente (carinhosamente preparado pela equipe de Nutrição), refrigerante e uma mesa repleta de doces. Todas elas receberam presentes. O evento aconteceu no dia 10 de outubro, no HSC.

“A ação – receber as crianças no hospital – aconteceu após uma parceria do RH e Serviço Social que, através do trabalho em equipe, transformaram esta data em um evento especial”, contou Fabiane Furquim, assistente social.

Para a técnica de enfermagem, Joice Palmieri Almeida, momentos como esse são muito gratificantes. “Tenho uma filha de dois anos e meio e é o segundo ano que ela participa. O mais interessante é que o HSC é instituição que proporciona esses encontros para a gente. Há oito anos trabalho lá e quando comecei, era solteira hoje, estou casada e tenho uma filha. Chega uma hora que nossa família passa a participar com a gente dos eventos da empresa. Sou muito grata ao HSC por proporcionar esses momentos”, falou.

Confira algumas das fotos da festividade.